Últimas do Blog...

artes 2

Estava em um evento e me fizeram estas duas perguntas e gostaria de compartilha-las com você.

1 – Quais são os fatores fundamentais para quem exerce uma função dentro do departamento de artes na igreja?

– Ter aceitado Jesus como meu Senhor e Salvador.

           Não simplesmente dizer que Ele é o meu Senhor, mas ter um bom relacionamento com Ele. O fato de se relacionar com Ele, já me da a possibilidade de ouvir a Sua voz, caminhar como Ele quer que eu caminhe   (Deus Emanuel).

          Entendendo este ponto, sei que também procurarei estar liberto de quem eu sou, buscando viver a verdade e ouvir a verdade, pois ela gerará fé em minha vida. “A fé vem pelo ouvir e ouvir a Palavra de Deus”. Romanos 10:17

– Conhecedor da Palavra de Deus.

         João 8:32 – Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.

         Se vou trabalhar no ministério de artes, preciso ter em conta que meu chamado é para levar a verdade, trazer a verdade à tona, ensinar a verdade.  A Palavra de Deus é nosso alicerce e nosso manual de vida. É inconcebível vermos pessoas que trabalham na casa de Deus e não conhecem a Palavra. Precisamos ter um relacionamento com a Palavra, onde eu desenvolva este relacionamento a cada dia.

         Desenvolver um relacionamento com a Palavra nos faz conhecer mais ao Senhor e como Ele pensa.

– Ter submissão aos líderes

         Isso não significa simplesmente obedecer ao que é pedido, mas a submissão passa por um coração tratado por Deus, onde ela começa no coração e depois passa pra atitude. Nossa reação interna diante da “ordem” dada determina se nosso coração é “contrito e quebrantado”.

“O coração quebrantado, disposto a amar, não escapa, nem por um minuto da percepção de Deus” Salmos 51:17 – Biblia A mensagem

         Saber que existe uma liderança acima de nós, nos dá uma cobertura e uma possibilidade de crescimento.

– Ter uma vida no altar

         Gênesis 12:7 nos fala que Abrão edificou um altar neste lugar que Deus lhe aparecera. Altar é um lugar de sacrifício, e onde sacrificamos, sempre vai existir uma cinza, sempre vai existir uma oferta. Não podemos nos apresentar diante de Deus de mãos vazias (Exodo 23:15b). No altar, sempre temos que levar alguma coisa. Isso representa  nosso coração disposto a em todo o tempo, nos entregarmos a Ele, amando-O.

         Vida no altar representa nossa adoração a Deus em resposta ao amor dele por nós. Uma adoração genuína que transparece a vida de Jesus. Ele é nosso maior exemplo de adoração e se caminhamos focados nisso, certamente adoraremos em espirito e em verdade.

– Ser um adorador

           Adorar é uma relação de amor entre Deus e o homem, entendendo que ela começa em Deus e termina em Deus, passando por nós. Adoração não é simplesmente cantar canções a Deus, mas sim viver um estilo de vida onde Ele é o centro, em tudo o que fazemos.

        John Benham diz que Deus nos deu uma mente para conhece-lo, um coração para ama-lo, um desejo para obedece-lo e um espirito para adora-lo.

       A.W.Tozer diz que Adoração é a resposta do cristão em sua totalidade – na mente, nas emoções, vontades e no corpo, à totalidade do que Deus é, diz e faz.

2 – Sabemos que o Reino de Deus é um projeto inclusivo, onde há integração de pessoas. Ao seu ver, a igreja deve selecionar pessoas para obra ou para um determinado departamento ou ministério dentro da igreja?

         Parto do ponto que cada um precisa e deve entender qual é o seu propósito na vida . Jeremias 1:5 fala que Deus chamou Jeremias para ser um profeta. Desde o nascimento ele já sabia o que ia ser. Pra que caminhemos dentro do Reino, preciso saber qual a minha posição dentro deste exército.

            Entendo que é papel da Igreja dar o subsídio necessário para o ensino deste tema, auxiliando todo o membro a descobrir o seu papel dentro do Reino. Este ensino poderá vir através de Escolas Bíblicas dominicais, estudos bíblicos e etc.

              Nunca podemos deixar de ENSINAR!!! A Igreja é chamada a Ensinar em todo o tempo.

            Se a pessoa já sabe onde ela deve trabalhar, ela precisa decidir trabalhar. Este ponto reflete algo muito sério no Reino de Deus hoje. Muitos que “entram”, buscando somente os seus “direitos de filhos do Rei”, mas não os “deveres de filhos do Rei”. Nosso dever como filhos do Rei, é servirmos em tudo o que Ele nos disser e da maneira que Ele nos disser. A igreja precisa aprender que “Deus é Deus e não sou eu” ( Pr. Enrique Bremer – México)

 E você?  Qual a sua opinião sobre estas perguntas?  Escreva seus comentários!

Comentário